Véspera de eleições

Gostaria de começar esse post com “Amanhã é um dia histórico”, mas não é. Eu cresci numa família envolvida com política, seja com as falas do meu pai sobre o nascimento do PT ou com parentes e amigos se envolvendo na política local.  Lembro com clareza meu plano para virar prefeito de Taubaté, eventualmente governador e quem sabe até presidente. 

Mas hoje eu quero, nas palavras de um amigo, “morar numa casinha de subúrbio e ter uma família e um volvo sw”. O que eu me preocupo mesmo é como eventualmente ter renda seja em tempos de vacas gordas como em tempos de vacas magras.  Tudo isso porque depois de ver e estudar como funciona a política nos Estados Unidos, incluindo conversas com americanos colegas de trabalho, e ainda estou vivendo na Europa e vendo como funciona estando “dentro” sei que toda essa historia só muda de endereço.

Em ultima analise, minha impotência em impor a minha visão de mundo ideal a todos os outros me frustrava. Eu gostaria de um mundo mais igual mas será que os outros querem isso mesmo? Numa conversa com um colega americano, pedi para ele tentar explicar o Tea-Party para mim, que é basicamente um monte de trabalhadores “classe media”  defendendo que os ricos paguem menos impostos no EUA.

O Tea-party é basicamente um monte de gente que acha que um dia irão tornar-se ricos e quando esse dia chegar querem não pagar muito impostos. A maluquice é essa, eles defendem um direito que gostariam de ter se fossem ricos mas que agora apenas os prejudica.

No fundo a questão é que na minha visão eles tão errados, mas na visão deles um social democrata é que está errado, é maluquice uma sociedade mais igualitária. E nesse embate a questão fundamental é que meu tempo de vida é muito curto para eu perder tentando impor minha visão do mundo aos outros. 

Eu costumo dizer que eu guardo meus sentimentos para pessoas físicas, que pessoas jurídicas não tem coração mesmo então não adianta gostar ou não gostar de uma empresa. Só que agora também vou guardar meus argumentos para assuntos que são relevantes para as pessoas físicas mais próximas que eu goste ( ou eventualmente não 🙂 ). Qualquer coisa que seja coletiva e que eu não tenha poder de mudar vou deixar o Cthulhu cuidar disso.

Novos dominios

Estou migrando meus dominios. depois de matar o fre.eti.br e o frederico.eti.br é a vez do fred.eti.br. Não vou renova-lô. Com isso passo a ter dois dominios apenas, o imovlr e o frederico.me.

Ainda tenho um frederico.us. Tava $2.55 e eu acabei comprando por impulso, e vai servir para eu aprender a editar as configurações dns na mão. 

O fred.eti.br vai funcionar até expirar, até março acho, depois não vou renova-lo. 

 Ainda não me decidi sobre o endereço de email oficial, mas provavelmente vou adotar algo do tipo eu no frederico ponto me.  A ver.

update: um amigo sugeriu carta em frederico, interessante.